terça-feira, janeiro 25, 2005

Napalm no Iraque

Eu não ia colocar esse plágio aqui, mas como vcs tem o (mau) hábito de NÃO freqüentar os links daí do lado, eu achei melhor colocar.
Como sempre, eu li no Ranzinza, que por sua vez (tb "como sempre"!) leu no No Mínimo. Não deixem de ver as fotos, mas não sem antes fazer uma preparação psicológica, pq elas são meio "fortes". Como os links são em inglês, eu preferi transcrever o texto do No Mínimo pra cá. Ei-lo:


Fantasma vietnamita

24.01.2005 Pode muito bem não ser verdade, mas é isto que os iraquianos estão dizendo a respeito de Fallujah: que o exército dos EUA usou agentes químicos nos combates. O repórter norte-americano Dahr Jamail – que é muçulmano – lista alguns dos depoimentos que ouviu:

"No centro do bairro Julan, eles [soldados dos EUA] estão retirando todas as casas que foram bombardeadas, embora a maioria das casas bombardeadas em outras regiões são deixadas como estão. [...] Pelo menos dois quilômetros de solo foram removidos. [...] Eles foram ao redor de cada casa para atirar nas caixas d'água, como se quisessem esconder evidências de químicos na água, mas fizeram isto em apenas algumas áreas, como em Julan e no mercado de lá."

Outro depoimento:

"Eles estão escondendo as marcas das armas horríveis que usaram. Eles lançaram estas estranhas bombas que soltavam fumaça na forma de um cogumelo, e então pequenos fragmentos caíam do ar com longos rabos de fumaça seguindo-os." Ele me explicou que partes destas bombas explodiam com muito fogo, queimando a pele das pessoas mesmo quando jogavam água em seus corpos, que é o efeito de armas que levam fósforo ou de napalm.

Um terceiro depoimento, de uma médica do Crescente Vermelho – equivalente islâmico à Cruz Vermelha:

"Eles não nos permitiram chegar a Julan ou a nenhum dos outros locais onde houve luta pesada. [...] Os norte-americanos não nos permitiram chegar às regiões onde dizem que usaram napalm."

Isto posto, cabe lembrar que, tecnicamente, napalm não é considerado arma química pela ONU. E que está oficialmente no arsenal militar norte-americano – o que não quer dizer, necessariamente, que foi levado para o Iraque. Mas parece.No blog do repórter Dahr Jamail há ainda fotografias tiradas pelo exército norte-americano de inimigos mortos em Fallujah, para o auxílio posterior de identificação. Com toda franqueza, este link para as fotos não é particularmente recomendável.


::Houve um tempo em que esse blog era mais engraçado. Preciso resolver isso...::