segunda-feira, janeiro 31, 2005

Plágios da semana

1) O Sérgio apareceu com uma nova revolução da medicina.

2) Picolinos e o Disk-Deus (sensacional a "taxa para judeus", rsrsrs)

3) A melhor sacada de todas! Quem diria que o Império (aquele mesmo de Star Wars) estaria envolvido nas eleições do Iraque! Crédito seja dado às damas.

Da série Cenas Ridículas do Cotidiano

Cês já viram alguém na rua em pleno domingo às três da tarde fazendo embaixadinhas com um côco (?!?!?!) ? Pois é, ontem eu tive essa "sorte".

sábado, janeiro 29, 2005

Da série Cenas Ridículas do Cotidiano

Camelô vendendo capa pra celular na Presidente Vargas:

"Qualquer marca, qualquer modelo, é 2,99 a capa! Bora que é pra celular e pra celulite (?!?!?!??!?!?!?!), 2,99 a capa, ó!"

terça-feira, janeiro 25, 2005

Napalm no Iraque

Eu não ia colocar esse plágio aqui, mas como vcs tem o (mau) hábito de NÃO freqüentar os links daí do lado, eu achei melhor colocar.
Como sempre, eu li no Ranzinza, que por sua vez (tb "como sempre"!) leu no No Mínimo. Não deixem de ver as fotos, mas não sem antes fazer uma preparação psicológica, pq elas são meio "fortes". Como os links são em inglês, eu preferi transcrever o texto do No Mínimo pra cá. Ei-lo:


Fantasma vietnamita

24.01.2005 Pode muito bem não ser verdade, mas é isto que os iraquianos estão dizendo a respeito de Fallujah: que o exército dos EUA usou agentes químicos nos combates. O repórter norte-americano Dahr Jamail – que é muçulmano – lista alguns dos depoimentos que ouviu:

"No centro do bairro Julan, eles [soldados dos EUA] estão retirando todas as casas que foram bombardeadas, embora a maioria das casas bombardeadas em outras regiões são deixadas como estão. [...] Pelo menos dois quilômetros de solo foram removidos. [...] Eles foram ao redor de cada casa para atirar nas caixas d'água, como se quisessem esconder evidências de químicos na água, mas fizeram isto em apenas algumas áreas, como em Julan e no mercado de lá."

Outro depoimento:

"Eles estão escondendo as marcas das armas horríveis que usaram. Eles lançaram estas estranhas bombas que soltavam fumaça na forma de um cogumelo, e então pequenos fragmentos caíam do ar com longos rabos de fumaça seguindo-os." Ele me explicou que partes destas bombas explodiam com muito fogo, queimando a pele das pessoas mesmo quando jogavam água em seus corpos, que é o efeito de armas que levam fósforo ou de napalm.

Um terceiro depoimento, de uma médica do Crescente Vermelho – equivalente islâmico à Cruz Vermelha:

"Eles não nos permitiram chegar a Julan ou a nenhum dos outros locais onde houve luta pesada. [...] Os norte-americanos não nos permitiram chegar às regiões onde dizem que usaram napalm."

Isto posto, cabe lembrar que, tecnicamente, napalm não é considerado arma química pela ONU. E que está oficialmente no arsenal militar norte-americano – o que não quer dizer, necessariamente, que foi levado para o Iraque. Mas parece.No blog do repórter Dahr Jamail há ainda fotografias tiradas pelo exército norte-americano de inimigos mortos em Fallujah, para o auxílio posterior de identificação. Com toda franqueza, este link para as fotos não é particularmente recomendável.


::Houve um tempo em que esse blog era mais engraçado. Preciso resolver isso...::

sexta-feira, janeiro 21, 2005

O admirável ano de 1984

Depois de muita procura em uma porrada de sebos pelo centro da cidade, finalmente eu encontrei 1984. Clássico de George Orwell, o livro foi lançado em 1949 e ainda hoje é extremamente atual (daqui a pouco eu digo o porquê).
Ambientado numa sociedade futurista (em 1949, o ano de 1984 estava bem distante...), a tônica do livro se situa no sistema de governo da época, que mantinha constante vigilância sobre todos os cidadãos, de modo que o único momento de privacidade imaginável era quando as luzes estavam apagadas - isso se vc tomar como privacidade a "liberdade" de usar a expressão facial que melhor lhe convier. O aterrorizante do livro é justamente o fato dessa vigilância se situar em todos os níveis, ou seja: a expressão do seu rosto, tudo o q vc diz e até tudo o q vc pensa (?!?!) é constantemente vigiado. Nas paredes da cidade (e em tudo que é lugar), o olhar sempre repousa em cartazes do Grande Irmão com a já clássica frase "Big Brother Is Watching You".
1984 é tão foda que eu li em um dia e meio. Curiosamente, ele tem diversas similaridades com outro livro que figura entre os meus prediletos, que é o Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. Ambos são um aviso do que o "progresso" de nossa civilização (seja ele político-econômico ou tecnológico) pode ocasionar. Em Admirável Mundo Novo, o foco principal do livro é o condicionamento a la Pavlov ao qual era submetida a população (hoje isso é feito de forma mais sutil pelos meios de comunicação, mas aí já são outros quinhentos...), ao passo que em 1984, mesmo que o foco não seja este, é inegável a presença do condicionamento de comportamento da população para atender aos interesses do governo. Ambos são leitura obrigatória.

Ok, até aqui eu tô chovendo no molhando. O que nem todo mundo sabe é que a estória do tal "Grande Irmão" não é exatamente caraminhola da cabeça do Orwell. Pra quem nunca ouviu falar do Echelon, dê uma lida nessa página e nessa aqui também. Quem achar que não tá bom, pesquise por Echelon no Google que vai vir uma porrada de resultados.

Big Brother is Watching You
"Guerra é Paz."
"Liberdade é escravidão."
"Ignorância é força."

quarta-feira, janeiro 19, 2005

Mais uma...

Se alguém ainda tinha alguma dúvida que argentino é um bicho filha-da-puta, vai aí mais uma prova...

terça-feira, janeiro 18, 2005

Sem querer ser chato...

Soldado Iraquiano sendo esculachado

...mas e aquela tal de Convenção de Genebra, onde é que fica?

:: Cês notaram na reportagem que o general britânico que fez o mea culpa na imprensa era Michael Jackson? Vai ver que ele ficou chateado que os iraquianos eram muito "adultos"...::

segunda-feira, janeiro 17, 2005

Plágio da semana

Chutar cachorro morto é sacanagem!

::Roubado do James, só pra variar.::

Recordar é viver

No dia 13 de janeiro de 2004, qdo o Barroso ainda era no Blig, eu coloquei um post assim:

"Começou de novo. Vai ser foda ter q aturar a imprensa inteira falando de diversos imbecis trancafiados numa casa brincando de gincana. Na 4° série era legal. Não, pensando melhor, nem na 4° série."

Continua tão atual que eu tô pensando em deixá-lo guardado na manga e postar de novo todo ano.

quinta-feira, janeiro 13, 2005

Os caçadores dos caralhos perdidos

Fugiram (?!?!) duas pirocas da prefeitura de Magé.

:: O Dia agora tá com essa sacanagem tb de cadastro. Preenche o cadastro que é rapidinho, do contrário vcs não vão poder ler a matéria (que é de chorar de rir, por sinal).::

Um ano de merda!!!

Hj termina o ano 1 d.b.(depois do Barroso). Há exatos 365 dias, a blogosfera via surgir um blog que mudaria a face da Internet (não exatamente pra melhor, mas isso não vem ao caso) com o seguinte post:

"Primeiro post do Barroso. Grande merda."

Como reza a tradição de todo veículo de comunicação de merda que se preze, em aniversário ninguém quer trabalhar e a saída é sempre fazer a tal da retrospectiva.

Janeiro 2004:
Infelizmente, ainda não existia a série Cenas Ridículas do Cotidiano, pq essa aqui seria uma excelente representante da classe. O endereço era naquela porcaria do Blig, e ainda existe até hoje.

Fevereiro 2004: Mês de entresafra, só três posts. Mas até que esse aki foi legal.

Março 2004: Março foi movimentado. A primeira coisa que vcs vão notar é que o layout tá meio bagunçado, isso foi pq naquele época o layout era outro e eu tinha espaço pra fotos mais largas. Outra novidade é o aparecimento de um então colaborador do mundo blogueiro: Paulo Levi Tatan, que começou a adquirir o hábito estranho de ler sempre esse blog. Curiosamente, o post que trouxe mais gente até hj ao Barroso saiu desse mês, vindo de um email do Levi que citava aquela velha senhora. E até hj tb vem gente aki procurando pelo Vampiro Doidão.

Abril 2004: Num dos maiores mistérios do ano, até hj aparece gente aki pesquisando por "mulheres estourando balões".

Maio 2004: Em uma jogada de marketing infalível, o Barroso consegue angariar um puta Ibope. Foi tb o mês que o Barroso "deu cria": o "Ih, Caralho!" nasceu antes que o próprio Tatan soubesse. Maio tb foi o mês que talvez tenha sido o responsável pela coisa mais absurda que já deve ter dado as caras por aqui.

Junho 2004: O Barroso assume seu layout atual. Tb tem o post aonde eu selecionei as minhas tirinhas preferidas dos Malvados, e algumas cenas ridículas do cotidiano realmente ridículas.

Julho 2004: Inaugurado o Momento Google. Nesse mês o Barroso tb serve de cupido para a Maryeva e para a Nicole Kidman, além de apresentar uma mini-retrospectiva falando dos seus seis meses de vida. Curiosamente, já estamos chegando perto de seis mil visitas, mas em julho que ainda estávamos atingindo a milésima visita.

Agosto 2004: Agosto foi um mês particularmente triste, por razões pessoais. Ainda assim, rolaram uns lances legais por aqui: foi inaugurado o Roteiro Cultural Barroso, teve tb aquele que talvez tenha sido o melhor post dessa joça (palavras do Tatan na época, que inclusive fez uma continuação que o Michael depois complementou), a homenagem ao aniversário do Woodstock (onde o Barroso mostra sua veia jornalística), chegamos a 2000 visitas(ou seja, tivemos 1000 visitas só nesse mês) e pra completar, teve o fatídico post falando sobre a Vida de Brian (fatídico pq o Levi botou um post sobre a Vida de Brian nesse mesmo dia, sem que um soubesse do post do outro!).

Setembro 2004: Mais uma lista (tava na moda na época, rsrs...), inaugurada a seção Plágios da Semana e a primeira montagem do Barroso (e única até agora, rs...).

Outubro 2004: Apresentado o enigma que até hj ninguém resolveu. Esse tb foi o mês qm que o Barroso inaugurou sua seção musical.

Novembro 2004: Esse foi um dos meus posts prediletos até hoje. Em novembro o Barroso tb mostrou ao mundo a natureza intríseca do pudim.

Dezembro 2004: Inaugurado o Dicionário Barroso da Vida Real e a série Cenas Ridículas do Cotidiano.

Janeiro 2005: Janeiro ainda tá no meio, mas já rolou uma "discussão existencial" interessante e um papo com Deus em pessoa.

That's all, folks. Deixa eu parar por aqui que eu já tô cansado de digitar (e vcs de ler, né?).

segunda-feira, janeiro 10, 2005

O amigo ou a piada?

Trecho de um comentário do Michael aqui no blog:

"Não sou tão passivo quanto pareço!"

Que que eu falo pra esse paraíba?

domingo, janeiro 09, 2005

Papo com Deus

" - Fala aê velho, beleza?"
" - Beleza."
" - (...)"
" - Tu tem estado meio revoltado né, ô filipensses?"
" - Pô, eu nunca fui muito diferente. Tu sabe né, tu vê a porra toda..."
" - Pois é, mas antes não tinha essa parada de Internet, mídia global, essas coisas..."
" - Vc que veio com essa estória de globalização, esses papos esquisitos aí..."
" - Eu porra nenhuma!"
" - O Bushinho disse que foi o senhor."
" - Desse aí eu cuido depois. Mas e o pessoal que for ler aquela porrada de besteira?"
" - Fica frio, tu não confia em mim? Pessoal é gente finíssima da melhor qualidade, daqueles que o senhor fez na Sagrada Primeira Fornada..."
" - Tô ligado, tô ligado...Mas não muda de assunto. Tu não veio reclamar de novo, veio? Tu tá chato pra caralho com essa porra."
" - Pô, mas ano passado tu foi meio foda, não foi?"
" - Meu filho, cê nunca ouviu falar que velho fica ranzinza? Pois é, 2004 eu acordei de ovo virado, mandei todo mundo tomar no cu e quem não foi eu joguei água em cima!"
" - Calma aê, vai devagar senão tu vai ter um troço!"
" - Calma aê? Isso é pq vc não tem que aturar o Bush aí embaixo e o Arafat aqui em cima. Agora ele deu pra se chegar junto do Brizola pra ficar fazendo intriga, isso aqui tá um verdadeiro inferno!"
" - Tá bom, tá bom. Eu reconheço que lá na Índia foi muito pior, OK?"
" - Tá, OK."
" - Mas não foi pra isso que eu vim aqui falar com o Senhor."
" - Ah não? Foi pra quê então, ô pentelho?"
" - É que esse fim-de-semana..."
" - ...que é que tem o fim-de-semana?"
" - Pô, foi show...dez "mermo"!"
" - (cara de incrédulo)"
" - Pô primeiro o alcalóide, da melhor procedência..."
" - Certo..."
" - Depois o sol glorioso no sábado e no domingo..."
" - Sei..."
" - Tudo isso somado a umas geladas, na beira da piscina, ouvindo o primeiro do Pink Floyd..."
" - Que que têm?"
" - Pô, aí eu pensei, vou lá desenrolar um bizu com o véio, ele foi dez..."
" - Esquenta não, pra gente não vale isso."
" - E como se não bastasse, o Lakers ainda ganhou na sexta..."
" - Essa foi mole, desenrolar com São Pedro é que foi mais chato. Sabe como é que é, gente caduca é uma merda, só pensa em chover, chover, chover..."
" - E aquela parada que a gente conversou sobre 2005, tá de pé ainda?
" - Claro que tá, eu alguma vez dei minha palavra e saí fora depois?"
" - Não, sempre que o Senhor fala, realmente acontece."
" - Claro que acontece, com quem vc acha que tá falando?"
" - É, pode crer...ô velho?"
" - Fala."
" - Só mais uma coisa...aquela viagem de ficar batendo o pé na água pra fazer bolhinha e viajar que tá num mar de água com gás...aquilo foi idéia sua, não foi?"
" - Vc não sabe de nada, meu filho..."

sexta-feira, janeiro 07, 2005

Plágios

1) Maurício de Souza pisa na bola. Saiu nesse post lá no Sérgio, a matéria original tá aqui.

2) Essa foi o James que plagiou do Bennet. Genial.

3) O Kibe Loco "simulou uma entrevista" com o Vanderlei Luxemburgo. Essa é pra dar cãibra na barriga.

Isso aí já é covardia

Deus tem um protegido (e como se não bastasse o cara é argentino).

quinta-feira, janeiro 06, 2005

Momento deprê

Ontem eu encontrei umas caras conhecidas da época de colégio no Orkut. Perfil de um, perfil de outro, e fatalmente vc acaba se pegando nostálgico lembrando dos tempos de vagabundo. Só q a minha nostalgia é meio diferente: eu não tenho saudades de determinados momentos e situações. Eu tenho saudade do filipensses daquela época.
Explico: por mais variadas que sejam as razões e as circunstâncias, o fato é que quando a vida real bate à sua porta, fudeu. Pelas contas mais simplistas, se antes vc passava em torno de 80% do seu tempo fazendo COISAS QUE VC GOSTAVA, hj essa proporção se inverteu. Quer queiramos ou não, vc passa a maior parte do tempo fazendo o QUE VC NÃO QUER e com a cabeça pensando em quando vc vai ter tempo PRA FAZER O Q VC REALMENTE QUER. Como o dia nunca tem mais de 24 horas (exceto quando termina o horário de verão), isso gera frustração.
Eu não sei se é só comigo, mas a lembrança que eu tenho de mim quando eu tinha os meus 17 anos é a de uma pessoa com um ENTUSIASMO e uma ALEGRIA praticamente incompatíveis com as responsabilidades e problemas do mundo "aqui fora". E o mais angustiante disso é que eu fico refletindo a respeito e não consigo encontrar uma solução plausível. Por mais que eu queira manter o entusiasmo, ele sempre vai se resumir a PROGRAMAS-QUE-NÓS-AUTÔMATOS-FAZEMOS-NOS-FINS-DE-SEMANA. Porque durante a semana não rola, não dá pra fingir pra vc mesmo (pq para os outros vc sempre pode botar uma máscara de felicidade) que tá tudo bem. Não dá pra ter o mesmo entusiasmo de quando eu acordava a hora em que eu queria e fazia o que me desse na telha quando eu agora acordo bêbado de sono pra ficar sentado o dia inteiro na frente de uma máquina de fazer doidos.
O mais angustiante é a conclusão que se tira disso tudo: o que que eu posso fazer pra mudar isso? Não é nenhum luxo pagar aluguel, uma prestação de carro e um seguro pro mesmo. Se eu posso dizer que eu tenho um luxo, seriam as mensalidades da DirecTV e do Velox. Tá, às vezes (BEEEM ás vezes, tipo a cada dois anos), a gente arruma uma prestação no Ponto Frio. Doze vezes, e sem a mínima chance da prestação atingir três dígitos. Não tem jeito: tenho que TRABALHAR pra manter o meu pequeno mundinho de classe média (que de média não tem porra nenhuma, né? E mesmo que eu me privasse desses "luxos", a situação não seria tão diferente). E se eu tenho que trabalhar, não dá pra se livrar dos 80% do seu tempo que vc passa fazendo o que não quer. Que por sua vez, são incompatíveis com o tal ENTUSIASMO lá do terceiro parágrafo.
A saída? Nem faço idéia. Quem souber coloca aí nos comentários.

Dicionário Barroso da Vida Real

Juros: Subst. homicida. É aquilo que faz com que o pobre compre um ferro elétrico pelo preço de uma geladeira, e por alguma razão misteriosa, acredite estar levando vantagem nisso.

Coerência: Subst. teimoso. É aquilo que nos obriga a cometer o mesmo erro diversas vezes.

Da série Cenas Ridículas do Cotidiano

Inscrição no vidro de trás de um carro que eu vi hoje na Av. Brasil:

"Só existem 3 Roberto Carlos: o cantor, o jogador, e eu."

segunda-feira, janeiro 03, 2005

O Vale do Paraíba

::Dava pra fazer um blog só com as "maravilhas" que a gente recebe por email...::

Na prova final (2003) do Colégio Objetivo, um aluno do último ano tem uma "brilhante" resposta para a seguinte questão:

"Faça uma análise sobre a importância do Vale do Paraíba."

A resposta foi a seguinte:

"O Vale do Paraíba é de suma importância, pois, não podemos discriminar esses importantes cidadãos. Já que existem o vale-transporte e o vale do idoso, por que não existir também o Vale do Paraíba??!!!

Além disso, sabemos que os paraíbas, de um modo geral, trabalham em obras ou portarias de edifícios e ganham pouco.

Então, o dinheiro que entra no meio do mês - que é o vale - é muito importante para que ele equilibre sua economia familiar.
"

domingo, janeiro 02, 2005

Ressacagástrofe parte 2

Cês conhecem alguém que emagreceu nas festas de fim de ano? Com vcs titio filipensses, 150 gramas a menos. Né nada né nada, mas é melhor que engordar. Mesmo com o dendê, o leite-de-coco (ainda que o bobó fosse vegetariano), a cerveja, o Bacardi e o pudim, a balança sobreviveu. Ficam aqui os meus agradecimentos ao Tatan e a Viviane (a sra. Tatan), ao Iba que não pôde ir no dia mas apareceu no dia seguinte, e a todo o pessoal que foi, pq foi muito maneiro. Não deu pra ser acampado na Serra do Piloto, mas como diria o meu xará, o Caô, "make what?". Ou parafraseando o velho ditado: "se a vida te der um limão, faz uma caipirinha e enche os cornos de birita!"