domingo, outubro 17, 2004

Para os órfãos do Audiogalaxy

Se vc não entendeu o título, nem precisa ler o resto - mas eu acho pouco provável que vc não tenha entendido. Para os que estiveram enterrados com a cabeça numa rocha nos últimos cinco anos, um breve histórico: vcs já ouviram falar do Napster, não já? Pois é, o Napster era um programinha que vc baixava da Internet e instalava no seu micro para troca de arquivos - e que fez um enorme sucesso com a popularização do mp3. Na verdade, o Napster permitia que vc baixasse para o seu micro músicas dos seus artistas prediletos com custo zero. Nada que vc já não fizesse com fitas cassete, só que naquela época vc dependia de algum conhecido ter o disco que vc queria gravar. Não demorou para que as gravadoras colocassem a culpa de sua inoperância em lançar músicos de qualidade nas pessoas que compartilhavam músicas na Internet (do mesmo modo que fizeram com as fitas cassete).
Não demorou para um juiz bater o martelo contra o Napster. Rei morto, rei posto. E com força total. O Audiogalaxy era muuuito melhor do que o Napster. QUALQUER gravação já existente era possível achar lá. Se Hendrix alguma vez tivesse feito uma jam com selvagens africanos num deserto da Sibéria e essa gravação existisse, vc acharia no Audiogalaxy.
Lembro-me ainda hj de quando soube do falecimento do Audiogalaxy, assassinado por outro juiz (foi inclusive o Levi que me deu a notícia). Nunca mais o mundo do compartilhamento do músicas seria o mesmo (ou não?). O problema é que tanto Napster qto o Audiogalaxy usavam servidores centralizados, o q os tornava presas fáceis de qualquer corte.
Aí é que entra o tema desse post (PUTA QUE PARIU, QUE CARA ENROLÃO, FALA PRA CARALHO E AGORA É QUE VAI COMEÇAR???). Depois da morte do Audiogalaxy, não existia mais um padrão para troca de músicas, cada um usava um programa diferente, e cada um tem o seu preferido. Eu mesmo custei pra achar o meu preferido, e como ele é pouco conhecido, esse post vai ser justamente pra falar sobre ele (VAI SER AINDA? TÁ DE SACANAGEM...).


*** ESSE POST NA REALIDADE COMEÇA AQUI ***

O programa que eu fosse escolher para substituir o Audiogalaxy tinha que ser tão bom qto ele. Tinha q ter a possibilidade de funcionar sem intervenção do usuário (tipo assim: conecta, vê o que eu botei na fila pra baixar, baixa se houver disponibilidade) e tinha que fazer uso de servidores descentralizados, pra não correr o risco de ter que parar de usar por razões judiciais de novo. E tinha que rodar no Linux, que é o que eu uso em casa.
Minha escolha caiu sobre o Lopster. Como o meu gosto musical é bem diferente do da maioria, eu tinha que usar um programa aonde fosse possível achar todas as minhas esquisitices musicais. E - Murphy às vezes dorme - eu acabei achando.
Exemplos? Entrei no Orkut numa comunidade sobre Rock Progressivo e outra de de Rock Progressivo Italiano. Vcs já ouviram falar de Porcupine Tree, Goblin, Banco del Muttuo Soccorso, Pierrot Lunaire, Anekdoten, Biglietto per L'Inferno, Spock's Beard, Anglagard, Opus Avantra, Metamorfosi ou ainda Hamadryad? Pois é, eu achei tudo lá. Isso sem contar os já conhecidos Le Orme e King Crimson (desse último eu devo ter baixado uma meia dúzia de CD's inteiros!). Daí, fica a dica: pra quem não tem Linux, já tem uma versão pra Windows. A menos que vc compre o argumento das majors e seja um magnata como o Iba, que não baixa porra nenhuma e só compra os Cd's (mas tu já gravou muita fita cassete na vida, né Maiquinho?).(PUTA QUE PARIU, FINALMENTE ACABOU ESSA JOÇA - TANTA MERDA PRA NÃO FALAR PORRA NENHUMA DE INTERESSANTE NO FINAL).