quarta-feira, agosto 18, 2004

A vida como ela deveria ser...

Ok, ok. Mea culpa, mea culpa, mea maxima culpa. Foi o Pataxó que lembrou, lá no LSD. Há 35 anos, nos dias 15, 16 e 17 de agosto, 500.000 pessoas reunidas numa fazenda de um tal de Max Yasgur viveram a vida como ela deveria ser.



Cartaz do evento

Se eu fosse definir com uma expressão, eu diria que foi a maior expressão do prazer sensorial de todos os tempos.


O banho

Três dias de muito sexo, drogas e rock and roll. Se a finalidade da vida fosse atingir o êxtase do prazer físico, todos nós estaríamos apenas esperando o juiz apitar, pq o jogo já estaria ganho.


O transporte

O resto da população do globo, pobres mortais, não pode fazer nada a não ser babar o ovo de quem lá esteve, assistindo os vídeos e ouvindo o som. Ou assumindo o despeito e dizendo q "não foi tão bom assim, choveu pra caralho, o som tava uma merda e tinha q fazer cocô no mato".



Gente pra caralho

Que se foda o cocô no mato. Eu adoraria ter estado lá(OBS: Se o Parayba escreveu quase um livro pra falar da sua banda, como forma de penitência vai ficar o resto do mês só colocando posts sobre o Woodstock). Como não tem mais jeito mesmo, o máximo que eu posso falar é Feliz Aniversário, Woodstock! Vê se aparece, hein!