sexta-feira, agosto 27, 2004

Trio de pastores alemães

Eu me lembro que eu tinha uns dois meses de casado mais ou menos qdo comecei a pesquisar sobre raças de cães, a fim de eleger a quem caberia a honra de proteger a sede do quartel-general do Barroso. Não chegou a ser uma pesquisa muito grande, pois qdo eu comecei a ler sobre o pastor alemão eu perdi rapidamente o interesse de conhecer outras raças.


Dizem q o cão aos poucos passa ter uma personalidade parecida com a do dono, mas eu não sei pq lá em casa as coisas aconteceram meio ao contrário. Explico: o pastor alemão é um cão EXTREMAMENTE metódico. TUDO ele faz é sempre EXATAMENTE do mesmo jeito. O tipo de "festa" que ele faz qdo a gente chega em casa, a reação q ele tem qdo a gente "anuncia" q vai botar a ração dele, o "banheiro" dele...tudo é sempre igual. E o casal-comandante do quartel-general do Barroso, estranhamente, tá ficando assim tb. E o mais incrível: eu tô achando isso o máximo.
Quer ver? Uma bela noite de sexta-feira rolou uma puta macarronada lá em casa acompanhada de um vinho tinto seco e um DVD. Por alguma razão misteriosa, na semana seguinte tb. E agora é ritual; noite de sexta-feira tem q ter massa/vinho/DVD. Senão não é sexta. E, diga-se de passagem, a Sra. filipensses faz uma massa q é dessas de comer rezando de tão espetacular q é(eu costumo dizer q ela nunca vai poder reclamar dos meus quilinhos extras pq ela é em boa parte responsável por isso, rsrs).
Outra? Um belo dia (quer dizer, não lembro se era belo ou não) a gente resolveu q esse papo de jantar era um negócio muito pesado pra noite. "Ah, vâmu passar a comer sopa, uns sanduíches e tá safo, senão a gente vai dormir com a barriga muito cheia, etc, etc...". Beleza. Estranhamente, agora, nosso cardápio de segunda a sexta é sempre assim: dois dias de sopa (quase sempre de ervilha), dois dias de hambúrguer (vegetal, é claro), e a sexta é o ritual. Ninguém combinou isso, aconteceu de forma natural. Eu só não consigo entender é o q q a gente vê de tão legal nisso. Vira e mexe a gente descobre mais uma mania nossa e morre de rir com isso. Sei lá, mas eu tô meio com medo de um dia desses começar a latir no quintal. E o pior: começar a achar isso muito foda.